segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Ela expressou aquilo que todos os brasileiros sentem...
  
Carta de uma senhora de 84 anos ao "Estadão".
- RUTH MOREIRA

Estou com vergonha do Brasil. Vergonha do governo, com esse impatriótico,
antidemocrático e antirrepublicano projeto de poder.
Vergonha do Congresso rampeiro que temos, das Câmaras que dão com uma mão
para nos surrupiar com a outra, políticos vendidos a quem dá mais.
Pensar no bem do País é ser trouxa.

Vergonha do dilapidar de nossas grandes empresas estatais, Petrobrás,
Eletrobrás e outras, patrimônio de todos os brasileiros, que agora estão a
serviço de uma causa só, o poder. Vergonha de juízes vendidos. Vergonha de
mensalões, mensalinhos, mensaleiros. Vergonha de termos quase 40 ministros e
outro tanto de partidos a mamar nas tetas da viúva, enquanto brasileiros
morrem em enchentes, perdendo casa e familiares por desídia de políticos, se
não desonestos, então, incompetentes para o cargo. Vergonha de ver a
presidente de um país pobre ir mostrar na Europa uma riqueza que não temos
(onde está a guerrilheira? era tudo fantasia?).

Vergonha da violência que impera e de ver uma turista estuprada durante
seis horas por delinquentes fichados e à solta fazendo barbaridades,
envergonhando-nos perante o mundo. Vergonha por pagarmos tantos impostos e
nada recebermos em troca - nem estradas, nem portos, nem saúde, nem
segurança, nem escolas que ensinem para valer, nem creches para atender a
população que forçosamente tem de ir à luta.

Vergonha de todos esses desmandos que nos trouxeram de volta a famigerada inflação.
Agora pergunto: onde estão os homens de bem deste país?
Onde está a Maçonaria? OAB? CNBB? LYONS?ROTARY? Onde estão os que querem lutar por um Brasil melhor?
Por que tantos estão calados? Tenho 84 anos e escrevo à espera de um despertar que não se concretiza.
Até quando isso vai continuar? Até quando veremos essas nulidades que aí estão sendo eleitas e reeleitas?

Estou com muita vergonha do Brasil.
RUTH MOREIRA   ruthmoreira@uol.com.br


sábado, 28 de setembro de 2013

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Assunto: MILITARES INICIAM CAMPANHA NACIONAL PELO VOTO ANTI PT




Repassando, independentemente da autenticidade, é uma boa campanha por uma causa melhor ainda.


Está na hora de fazermos alguma coisa pelo bem do nosso país.




                ATENÇÃO AO TEXTO !




REPASSEI PARA TODO O MEU GRUPO - POR FAVOR, REPASSEM. VAMOS LUTAR PELO BRASIL!!!!!

Encaminho visando a fazer chegar a campanha a grupos,a clubes,a escolas,aos clubes e círculos militares,aos condomínios,a paróquias,a centros evangélicos.Visando ainda à formação de grupos de pessoas amigas capazes de acompanhar e estimular a mobilização nacional pelo voto anti PT.Salvio

REPASSEM PARA O BEM DO BRASIL

 OS MILITARES,  PARTE DA IGREJA CATÓLICA, EVANGÉLICOS E MAÇONARIA  ESTÃO  CHEGANDO!!!! 
VAMOS ÀS RUAS CONTRA O  COMUNISMO!!!!

ATENÇÃO  CLUBE MILITAR  DO  RIO!

ATENÇÃO MARINHA DO BRASIL!!

ATENÇÃO  CÍRCULOS  MILITARES  DO  SUDESTE.

ATENÇÃO EXÉRCITO  DO NORDESTE.
MILITARES INICIAM CAMPANHA
NACIONAL PELO VOTO ANTI  PT


Eu repasso, e já estou decidido a votar no candidato que apresentar mais condições de arrancar o PT do poder. Dirão: mas isso é voto útil! E eu respondo: UTILÍSSIMO SIM... E melhor ainda se atingir o alvo!
1-ROGO AOS AMIGOS MILITARES E AMIGOS CIVIS QUE TAMBÉM ESTÃO REVOLTADOS COM OS DESMANDOS, AS ROUBALHEIRAS, COM OS ESCÂNDALOS E "MARACUTAIAS" QUE O PT E PETRALHADA  DESDE A POSSE DO "BÊBADO HORRORIS CAUSA" NA PRESIDÊNCIA VÊM NOS BRINDANDO, QUE REPASSEM PARA OS COLEGAS MILITARES, AMIGOS E PARENTES CIVIS, DE MODO A QUE POSSAMOS FORMAR UMA CORRENTE DE PESSOAS DIGNAS E CORRETAS PARA FAZER FRENTE AO DOMÍNIO PETISTA.

2 -ESSA CORRENTE TEM QUE TENTAR, DE QUALQUER FORMA, ALCANÇAR AS PESSOAS DE BEM QUE NÃO TÊM ACESSO ÀS INFORMAÇÕES CORRETAS E VERDADEIRAS DAS BANDALHEIRAS QUE SÃO TRAIÇOEIRAMENTE ENCOBERTAS PELOS FAVORES DAS BOLSAS, DAS COTAS, DO EMPREGUISMO E DE AÇÕES POPULISTAS DE TODA ORDEM.
Sergio Caetano de Barros 

Já era hora!!!

ESTA É A MAIOR BATALHA SEM O USO DE NENHUM ARTEFATO BÉLICO , NÃO SÓ NÓS MILITARES, MAS  POR TODOS BRASILEIROS INSATISFEITOS COM AS MENTIRAS DESLAVADAS, VAMOS USAR APENAS UM TIPO DE ARMA QUE CAUSARÁ EM TODOS OS ENGANADORES DO BRASIL FERIMENTOS MORTAIS; ESTA ARMA, A MAIS  SIMPLES DE TODAS, O NOSSO VOTO.

V A M O S  À  L U T A  B R A S I L
MILITARES INICIAM CAMPANHA NACIONAL ANTI PT

 Militares entrevistados em Copacabana  na passeata pelo reajuste manifestaram enorme decepção com administração do Partido dos Trabalhadores, marcado por escândalos como Mensalão e Cachoeira, Rose, etc....

"Pensávamos que seria um governo de um homem do povo para o  povo, mas tudo indica que se transformou no governo dos escândalos e favorecimentos ilícitos"- disse um dos  militares.

Os militares das  Forças Armadas somam mais de 600.000 entre os que estão em atividade e os da reserva. Somados com seus dependentes e círculos de influência esse quantitativo pode passar de 5 milhões de pessoas. Um número que definitivamente pode mudar os rumos de qualquer  eleição.

Militares  estaduais também estão insatisfeitos com o governo federal, que não  facilitou para que as negociações sobre a PEC 300 prosseguissem. Na passeata em Copacabana verificou-se a presença de lideranças dos policiais e bombeiros do Rio de Janeiro, e isso acena para uma possível união de militares federais e estaduais. Se isso se  concretizar e chegar às urnas certamente será um problema a mais para os políticos vermelhos.

Os  militares das Forças Armadas, comumente, são homens de conduta ilibada e bem relacionados. Formadores de opinião. É frequente serem preferidos para  assumir cargos de sínd ico em seus edifícios, diáconos em igrejas católicas e evangélicas, pastores e líderes comunitários. Homens preparados e competentes como líderes  e aptos para discursar diante de pequenos e médios grupos,elespotencialmente representam realmente um perigo em potencial para o  partido da situação, se resolverem usar sua influência para um objetivo comum.

Pesquisas  demonstram que as Forças Armadas são as instituições com maior  credibilidade no Brasil, o que confirma que os militares brasileiros gozam de excelente  reputação junto à sociedade.

Nos últimos meses há frequente divergência entre militares das Forças Armadas e o governo. Manifestos Interclubes, abaixo-assinados dos oficiais e marcha virtual, são  exemplos de grandes questões surgidas ainda este ano. Essa aparente queda de braço com os militares pode causar bastante prejuízo nas  pretensões dos políticos que estão "confortáveis", já a curtíssimo prazo.
 

Talvez assim consigamos  começar a melhorar este  país.....

PRECISAMOS MOSTRAR QUE TEMOS FORÇA, NÃO  ESTAMOS MORTOS E ELES PASSARÃO A SE ACAUTELAR E NOS ENXERGAR COM O JUSTO RESPEITO E DIGNIDADE.  ESSA É A MELHOR FORMA...  VAMOS NOS UNIR, NÃO SE ACOVARDEM...


VOTEM EM QUEM QUISER, EXCETO  APENAS QUE NÃO SEJA ALGUEM DO PT OU DE SEUS ALIADOS. POR AMOR AO PAÍS, VAMOS  IMPACTAR O COMODISMO QUE DOMINA O GOVERNO FEDERAL E MOSTRAR QUE TEMOS - JUNTO COM O POVO QUE É SOBERANO -
A MAIOR FORÇA, DA  INTERNET E DO  PODER DO  VOTO.
Já passou da hora de virar a mesa!
Repasse para seus amigos


"O mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer."(Albert Einstein)
"Sou um só, mas ainda assim sou um. Não posso fazer tudo, mas posso fazer alguma coisa. E por não poder fazer tudo, não me recusarei a fazer o pouco que posso".


terça-feira, 24 de setembro de 2013

Correspondentes!

Num país totalmente dominado por mafiosos que, atolados na lama da
infâmia, jogaram no lixo qualquer resquício de ética ou de moral,
poucos são aqueles que conseguem se indignar com tanta desonra.
Contudo, esse número de inconformados precisa aumentar para que
os vendilhões da pátria sejam, dela, definitivamente banidos.
O voto palavroso, empolado e ardilosos não causou espanto. Aliás,
só foi surpreendido por tanta verborragia quem gosta de ser enganado.
Como não tenho a competência do autor do artigo abaixo para
escrever traduzindo nojo e indignação, vou repassar, como recebi,
o que ele escreveu porque o meu asco e a minha sensação de desprezo
são, do mesmo modo, iguais.
Ele não identificou o destinatário, mas será preciso?
Finalmente, eu ia pedir desculpas pelos palavrões, mas em certos casos
somente eles traduzem corretamente a nossa gana.
Assim sendo, vamos em frente sem esquecer que o preço da liberdade
é a eterna vigilância.

Um inconformado abraço.

AMF


REPASSANDO




DIGNÍSSIMO FILHO DA PUTA

Sergio Sayeg

Pelo presente instrumento, venho dirigir-me a vossa excelência. Com minúsculas e na segunda pessoa, pessoa de segunda que és, mauricinho de nariz empertigado. Tu, que te ocultas, sorrateiro, por trás dessa impecável e pretíssima toga de bosta.

Tu que recebes aprumado a reverência do país de joelhos à espera de tuas soberanas e irretocáveis decisões peremptórias.

Tu que estás imbuído da divina prerrogativa, intransferível e vitalícia, de julgar e decidir o destino dos homens que habitam o mun­do dos vivos, já que o dos mortos foge à tua jurisprudência, instância suprema à do teu supre­mo.

Embora nutras anseios em manter paridade e equiparação divina com Aquele que exerce tal competência. Tu, cordeiro em pele d’urso, que reclamas indignamente indignado por direitos inalienáveis e vives na intimidade inescrutável da tua vida pri­vada de tramoias inconfessáveis. Tu mesmo, nobre calhorda, que de tanto exercer o ofício de julgar os outros, julgas-te acima dos outros.

Venho oficiar-te, honorável patife, que há mais retidão e honra na palavra espontânea e honesta que brota do coração de um humilde iletrado do que no alfarrábio que sustém tuas áridas, infindáveis, mirabolantes e ordinárias sentenças. As mesmas que revestes, impávido, em capa dura, fazendo-as constar com letras doura­das dos anais que ostentas nas prateleiras intermináveis onde expões tua soberba grandiloquência farisaica e tua rocambo­lesca sapiência estéril.

Amealhas com vileza recursos tomados do povo injustiçado para manter intacto esse intrincado e indecifrável sistema, tão inócuo quanto iníquo, que qualificas cinicamente de Justiça, a fim de cobrir com aura de magnificência e infalibilidade essa espeta­culosa e suntuosa pantomima patética e embusteira a fim de deixar boquiabertas as legiões dos sem-justiça desse país, mantendo­-os sob o jugo do teu julgar.

Cultivaste esse interminável cipoal de leis, decretos, normas, códigos, tratados, regimentos, resoluções, regula­mentações, pareceres, dispositivos, medidas provisórias e embargos infringentes, para reservares a ti próprio o monopólio do conhecimento e das práticas a ti outorgadas (adivinha!) “por lei”, afastando o povaréu “abestado” de teu demarcado territó­rio. Para que, na mesma medida em que amplias a doutrina do direito, reduzas o primado da justiça.

Sai da tocaia, egrégio velhaco. Desce desse palácio de letras, capítulos, parágrafos, alíneas, incisos, caputs e cláusulas em que te enclausuras. Cumpre salientar, excelentíssimo pústula, que as ruas, caso não observes do palácio que construíste, sem decurso de prazo, para te isolares da re­alidade de fato e de direito, estão repletas de malfeitores que pomposamente livrastes das masmorras. Não por um senti­mento benevolente de perdão ou por uma crença abnegada no poder de recuperação humana mas por um displicente pragmatismo jurídico.

Delinquentes de toda a es­pécie a quem remistes da pena, hoje libertos de punição, em uníssono, zombam, sob tua retumbante indiferença, dos tolos que se pautam em princípios e honradez.

Sob o manto do teu garganteado “estado de direito”, ca­nalhas, corruptos, patifes, ladrões de todas as espécies ascenderam aos postos de direção com a tua serena condescendência. Mais: com a tua cruel cumplicidade. São estes que tratas com a mais alta leniência, amparando-os com a força irrefutável da lei, draconiana indulgência e into­lerância zero. Cobrindo a impunidade com o manto legalista da imu­nidade.

Todo teu empenho é de não punir. Inocentes ou culpa­dos, pouco importa. “In dubio pro reo”, desde que teus honorá­rios sejam quitados “in specie” com correção, exatidão, integri­dade e... justiça.

E assim, por todos os pretextos, vais libertan­do das grades todos os poderosos tubarões, reservando os horrores dos calabouços aos despossuídos que não participam do pecúlio que sustenta a devassidão moral que apadrinhas, consagrando esse país como o paraíso da impunidade.

Os princípios de retidão e civilidade estão dentro de nós (e fora de ti). Num mundo de justos, tua justiça não se ajusta.

E aí, bonitão? Vais me encarar? Vais engrossar? Pra cima de moi, doutorzinho? Não gostaste? Indicia-me por desacato, perjúrio, injúria, o cacete. Apresenta queixa-crime por difa­mação, filho da mãe. Colocas-me na prisão. Faz um arresto dos meus bens. Pois não vou ficar calado ante tua sacripanta e rocambolesca farsa.

Data vênia, vai pra p (*) que te pariu.


Não se acomode. Precisamos acabar com a "República da farra, da farsa, do cinismo e do deboche”, em que se transformou o nosso querido Brasil.


segunda-feira, 23 de setembro de 2013


Charge de Mariano para Charge Online
___________________________________________________
Enviado por Rui Reche Barbosa, São Paulo-Capital
220913

Onde estavam personagens do mensalão há 40 anos

“Em 1968, José Dirceu e Celso de Mello moravam numa república de estudantes em São Paulo, visitada frequentemente por agentes do Dops”

Por Maurício Cardoso, diretor de redação da revista Consultor Jurídico

1968, o que fizemos de nós é o nome de um belo livro, do jornalista Zuenir Ventura, lançado em 2008, como sequência de um outro livro ainda mais lindo, 1968, o ano que não terminou, de 1989. Os dois livros falam de um personagem incomum, o ano de 1968: “É possível que no século XX tenha havido ano igual ou mais importante do que 1968, mas nenhum tão lembrado, discutido e com tanta disposição para permanecer como referência, por afinidade ou por contraste”, explica o autor na contracapa do último volume. E diz mais: “A geração de 68, que dizia não confiar em ninguém com mais de 30 anos, está completando 40. Ainda dá para confiar nela? Que balanço se pode fazer hoje de um ano tão carregado de ambições e de sonhos? O que foi feito dessa herança?”

As questões que o livro de Zuenir procura responder podem ser encontradas também, em larga escala, no plenário do Supremo Tribunal Federal, todas as segundas, quartas e quintas-feiras, enquanto se julga a Ação Penal 470, o processo do mensalão. O livro de Zuenir Ventura pode até não explicar porque o partido que era apontado como mais ético e mais autêntico da história da República se tornou patrono do maior escândalo de corrupção do país. Mas ele mostra que boa parte dos principais personagens desse drama político estavam todos lá em 1968, caminhando e cantando, e seguindo a canção. 

Quem abrir o livro à página 48, vai encontrar o capítulo Há um meia-oito em cada canto. Vai saber que, nos idos de meia-oito, José Dirceu, acusado de ser o “chefe da quadrilha” do mensalão, era um dos mais influentes líderes do movimento estudantil. E que o ministro Celso de Mello, o decano do tribunal que está julgando Dirceu juntamente com toda a “quadrilha”, era praticamente colega do político. “Em 1968, José Dirceu e Celso de Mello moravam numa república de estudantes em São Paulo, visitada frequentemente por agentes do Dops”, conta o livro.

Os dois trilharam caminhos diferentes. “Dirceu foi para a militância e Mello para os estudos”. Mas, em suas respectivas trincheiras, defenderam os mesmos ideais de liberdade. Celso de Mello relembra o momento difícil que enfrentou como orador da turma de promotores aprovados no concurso do Ministério Público. “Eu precisava protestar contra o regime ditatorial, e fiz um discurso que não agradou muito ao chamado establishment; não fui aplaudido.”

Outros meia-oito ilustres que passaram pelo Supremo Tribunal Federal já estão aposentados. Sepúlveda Pertence, que deixou o Supremo em 2007, foi vice-presidente da UNE (1959-1960) e professor da UnB (1962-1965), cargos dos quais se viu afastado à força pelo regime dos generais. Hoje é integrante da Comissão de Ética Pública, ligado à presidência, criada justamente para evitar que novos mensalões aconteçam.

O outro é Eros Grau, que se aposentou em 2010. Em uma de suas últimas intervenções no Supremo, foi o relator da Ação Direta de Inconstitucionalidade que julgou constitucional a Lei de Anistia. Adepto do Partido Comunista (“nunca tive carteira, porque o partido não dava carteira, mas eu tinha um comprometimento com as teses do partido, digamos assim”), foi preso e torturado por sua atuação na resistência à ditadura.

“A geração de 68 não chegou a eleger nenhum presidente, ainda que os dois últimos — Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva — considerem ter levado para o poder idéias e representates das turmas com a qual reivindicam ter afinidades eletivas”, diz Zuenir, na abertura do capítulo dos meia-oito. Claro, o livro foi lançado em 2008, época em que Dilma Rousseff, ex-militante da VAR-Palmares, ainda não havia sido eleita presidente da República. “Em face de sua resistência à tortura na prisão, o promotor que a denunciou chamou-a de Joana D’Arc da subversão”, rememora Zuenir.

Além de Dilma e Zé Dirceu, são citados, ainda, como representantes da geração meia-oito que chegaram ao poder na era Lula, o governador da Bahia, Jaques Wagner (então presidente do diretório acadêmico da PUC-Rio e militante do PCdoB), o prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel (militante do movimento estudantil e da VAR-Palmares), o ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil Antônio Palocci (militante da organização trotskista Libelu, juntamente com o ex-secretário da presidência Luiz Dulci e o ex-secretário de Comunicação, Luiz Gushiken). Franklin Martins, que sucedeu Gushiken na Secretária de Comunicação foi do MR-8 e seu secretário executivo Ottoni Fernandes Junior, da ALN. O ministro da Cultura de Lula, Gilberto Gil não era filiado a nenhum grupo militante, mas só de cantar, foi preso e proibido de se apresentar, optando por se exilar na Inglaterra.

Tarso Genro, ministro da Educação e da Justiça no governo Lula, foi ativista da UNE e do PCdoB e da dissidência desta, a Ala Vermelha, que pregava a luta armada. Foram seus companheiros na militância esquerdista, Milton Seligman, hoje diretor de Relações Corporativas da Ambev, e Paulo Buss, presidente da Fundação Osvaldo Cruz. Os três compartilharam também as salas de aula da Universidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul. “Era uma cidade pequena, e todo mundo se conhecia. Diante da convocação de uma manifestação, o Dops prendia os de sempre”. Que eram os três, relembra Seligman em entrevista para o livro de Zuenir.

Também são meia-oito os verdes Fernando Gabeira, ex-deputado federal pelo Rio de Janeiro, e Carlos Minc, outro ministro do governo Lula. Mas não só no PT e no PV que se firmou o destino de quem viveu as convulsões de 1968. Antes, muito pelo contrário, como sustenta Zuenir Ventura ao resgatar o nome de dois ilustres meia-oito que tomaram outra direção. Um é o ex-senador tucano pelo Amazonas e atual líder na corrida para a prefeitura de Manaus, Arthur Virgílio Neto. Naqueles tempos, Arthur Virgilio era militante do clandestino PCB e diretor do Centro Acadêmico da Faculdade Nacional de Direito (atual UFRJ). Outro é o ex-prefeito do Rio de Janeiro, Cesar Maia, que pertenceu à Corrente, uma dissidência do PCB que pregava a luta armada. Foi preso no Congresso da UNE, em 68 e foi para o exílio na Argentina e no Chile, onde ficou amigo de outro militante de esquerda no exílio, José Serra.

Como diz Zuenir Ventura, “eles estão no poder, na oposição, à esquerda, à direita, e até prestando contas à Justiça. Há um meia-oito em cada esquina".

"Cría cuervos y te sacarán los ojos"


Comentário do Jornal dos Amigos

Como diria Boris Casoy, “está tudo dominado”.


Jornal dos Amigos


domingo, 22 de setembro de 2013

Didática sobre os embargos infringentes

- Pai, o que são Embargos Infringentes?
- Filho, é o seguinte: imagine que nossa casa seja um Tribunal. Quando alguém erra é julgado e todos podem votar! Um dia, por exemplo, o papai comete um deslize: é pego traindo sua mãe com três prostitutas. Eu irei a julgamento. Sua mãe, a mãe dela, o pai dela, sua irmã mais velha, você e seu irmão mais velho, votam pela minha condenação. Meu pai, minha mãe, o Totó e a Mimi, nossa gatinha, votam pela minha absolvição.
- Tá pai, mas aí você foi condenado, não?
- Sim, fui, e aí é que entram os tais dos “Embargos Infringentes”, meu filho. Como eu ganhei quatro votos a favor da minha absolvição, tenho direito a um novo julgamento.
- Mas pai, no novo julgamento todos vão votar do mesmo jeito.

- Não se eu tiver trocado a sua mãe, o pai dela e a mãe dela pelas três prostitutas… 


terça-feira, 10 de setembro de 2013

Conselhos de uma DELEGADA
Mande para as mulheres para que se cuidem e para os homens, para que repassem para as suas mulheres, namoradas, irmãs, amigas, etc...



Conselhos dirigidos às mulheres,
mas válidos aos homens também!
Atenção nunca é demais!

Devemos estar sempre atentas!
A mulher que elaborou o conteúdo deste e-mail é Diretora de uma Empresa
de Segurança no RJ e foi aconselhada por uma delegada após registrar um
Boletim de Ocorrência.




1. Sequestro Relâmpago:
Se um dia você for jogada dentro do porta-malas de um carro.
ENGULA O PÂNICO E RESPIRE FUNDO, CALMA E FRIEZA:

1) Chute os faróis traseiros
até que eles saiam para fora, estique seu braço pelos buracos.
2) GESTICULE
 feito doida.O motorista não verá você, mas todo mundo verá. Isto já salvou muitas vidas.


2. Os três motivos
pelos quais as mulheres são alvos fáceis para atos de violência são:

1) Falta de atenção:
Você TEM que estar consciente de onde você está e do que está acontecendo em volta de você.
2) Linguagem do corpo:
Mantenha sua cabeça erguida, e permaneça em posição ereta, jamais tenha uma postura "frágil".
3) Lugar errado, hora errada:
NÃO ande sozinha em ruas estreitas, nem dirija em bairros mal-afamados à noite.


3) NUNCA FAÇA ISSO!

1) NÃO FAÇA ISSO!
As mulheres têm a tendência de entrar em seus carros depois de fazerem compras, refeições, e sentarem-se no carro (fazendo anotações em seus talões de cheques, ou escrevendo em alguma lista, ou ainda conferindo o ticket de compra).
2) O bandido SEMPRE estará observando você:
Essa é a oportunidade perfeita para ele entrar pelo lado do passageiro, colocar uma arma na sua cabeça, e dizer a você onde ir.
3) No momento em que você entrar em seu carro:
trave as portas e vá embora, não fique ajeitando o cabelo, ou passando batom...


4)
 Algumas dicas acerca de entrar em seu carro num estacionamento ou numa garagem de estacionamento:

1) Esteja consciente:
olhe ao redor, olhe dentro de seu carro, olhe no chão dianteiro e traseiro de seu carro, olhe no chão do lado do passageiro, e no banco de trás.
2)Se ao lado da porta do motorista do seu carro, estiver estacionada uma Van Grande:
entre em seu carro pela porta do passageiro.
IMPORTANTE:
A maioria dos assassinos que matam em seqüência atacam suas vítimas empurrando-as ou puxando-as para dentro de suas Vans, na hora em que as mulheres estão tentando entrar em seus carros.


5) NUNCA deixe para procurar as chaves do seu carro, quando estiver parada em frente a porta dele.

1) Dirija-se
ao veículo com a chave em punho, pronta para abrir a porta e dar a partida. Observe os carros ao lado do seu.
2) Se uma pessoa do sexo masculino estiver sentado sozinho no assento do carona
do carro dele que FICA mais próximo do seu carro, você fará bem em voltar para o shopping, ou para o local de trabalho, e pedir a um segurança ou policial para acompanhar você até seu carro.


6) É SEMPRE MELHOR ESTAR A SALVO DO QUE ESTAR ARREPENDIDO
, não tenha vergonha
de pedir ajuda.

Use SEMPRE o elevador ao invés das escadas.
(Escadarias são lugares horríveis para se estar só, são lugares perfeitos para um crime).


7)
 PARE COM ISSO!
As mulheres, estão sempre procurando ser prestativas. Não use o celular a toa.

1) Essa característica poderá resultar em que você seja assassinada!
Um assassino seqüencial, homem de boa aparência, com boa formação acadêmica, declarou em seu depoimento que SEMPRE explorava a simpatia e o espírito condescendente das mulheres. Ele andava com uma bengala ou mancava, e conseqüentemente pedia 'ajuda', para entrar ou sair de seu carro, e era nesse momento que ele raptava sua próxima vítima.
2) Durante o dia, ande de óculos escuros:
O agressor nunca saberá para onde você esta olhando.
3) Celular:
só em lugar seguro.


Gostaria que você encaminhasse este e-mail a todas as pessoas que você conhece.
O mundo em que vivemos está cheio de gente má, vamos nos ajudar!




segunda-feira, 9 de setembro de 2013

PLANO PETISTA PARA ARRECADAÇÃO DE FUNDOS DE CAMPANHA PARA 2014.

Publicado hoje no site TERRA.

"Vamos fazer uma conta rápida:
A Dilma quer trazer 10.000 cubanos. Vai pagar R$10.000/cubano por mês, totalizando R$100.000.000,00/mês.
Faltam 13 meses para a eleição, daqui até lá serão R$1.300.000.000,00 (Um BILHÃO e trezentos MILHÕES de reais), mas os 'médicos' não receberão esse dinheiro, e sim o governo cubano.
Se metade dessa dinherama voltar aos cofres (caixa dois, claro!) do PT, Cuba ainda fica com uma bolada e a campanha da Dilma está paga. Acho que veremos a maior campanha presidencial da história desse país!
O mensalão não é nada perto desse golpe que estão realizando. Olha o que temos:
- O governo põe a culpa do caos na saúde em cima dos médicos e declara guerra aos mesmos, vetando o principal artigo do 'ato médico' e com isso ganhando a simpatia dos milhões de profissionais das outras áreas da saúde (mal sabem eles que ela agora vai editar uma medida provisória que vai colocar o mesmo artigo de volta em seu devido lugar, afinal de contas diagnosticar e tratar é coisa de médico e ela bem sabe disso).
- Gasta uma FORTUNA com propaganda do programa mais médicos na tv, jornais, sites na internet, outdoor, etc e vai usá-lo para tentar alavancar a candidatura do Padilha ao governo de São Paulo e também na campanha presidencial.
- Vai ganhar o apoio de milhares de prefeitos que já começaram a demitir médicos que são pagos com o tesouro municipal e que agora serão pagos com verba federal, desonerando as prefeituras a um ano da eleição para que os prefeitos possam roubar mais e fazer caixa de campanha.
- Vai ter 10.000 cabos eleitorais trabalhando de graça e em tempo integral durante um ano para angariar votos para o PT e seus aliados.
- Vai ter o apoio de um exército de miseráveis que agora já não se satisfazem mais só com as bolsas e que querem mais. Vão ser ludibriados por cubanos que se equiparam a técnicos de enfermagem brasileiros. Nos primeiros meses vai ser 'só love', vamos ver quase a exaustão na TV um velhinho numa currutela do norte abraçando um cubano e dizendo que nunca tinha tido acesso a um médico e que agora tem um que o atende em casa e que é 'humano' demais e vai agradecer a Dilma e o Padilha.

As mortes e sequelas só aparecerão, SE noticiarem, depois da reeleição."


domingo, 8 de setembro de 2013



Charge da Amâncio para o Jornal de Hoje – RN
______________________________________________________


Enviado por Osmar Rezende, Belo Horizonte-MG
070913


Manifestação do Príncipe Dom Luiz de Orleans e Bragança,
Chefe da Casa Imperial do Brasil

2 de setembro de 2013, às 13h02

É com o espírito carregado de graves apreensões que venho considerando os mais recentes acontecimentos de nossa vida pública. As instituições são desrespeitadas, a insegurança jurídica aumenta, a faculdade de opinar vai sendo ameaçada, insuflam-se conflitos entre brasileiros, sobre as forças dinâmicas da Nação se abatem legislações cada vez mais sufocantes e até nossa diplomacia – outrora reconhecida por seu equilíbrio e subtileza – é vilipendiada.

Aumenta, dia a dia, em considerável parte de nossa população – afável, ordeira e laboriosa – o sentimento de inconformidade e rejeição ante os crescentes desmandos de algumas de nossas mais altas autoridades, obstinadamente comprometidas com metas ideológicas avessas ao sentir da alma cristã de nosso povo.

O País assiste nestes dias, estupefato e incrédulo, ao que algumas vozes ponderadas já não hesitam em qualificar de um moderno tráfico de escravos ideológicos.
A classe médica e considerável parte da população vê com aversão a vinda (“importação”!) para o nosso País de médicos cubanos como “solução” para um sistema estatal de saúde em boa medida falido, devido ao descaso do próprio governo.

Enviados para o Brasil – a mando das autoridades que há décadas envolvem a outrora pérola do Caribe nesse ambiente obscuro, miserável e trágico, típico das nações-masmorras sobre as quais se abateu o comunismo – tais médicos são massa de manobra de inconfessados desígnios.

Enquanto é legítimo duvidar dos conhecimentos científicos de muitos deles, não é difícil conjecturar que alguns aqui desembarcarão como agentes da ideologia socialo-comunista vigente em Cuba, como tem acontecido em países como a Venezuela e a Bolívia. Além disso, muitos, separados propositalmente de seus familiares, aqui ficarão confinados em seus locais de trabalho, sem que seja clara a garantia de sua liberdade de ir e vir, bem como de outros princípios básicos de nosso Estado de Direito. Isso para não mencionar que parte do pagamento deste trabalho escravo hodierno será enviado pelas autoridades brasileiras às autoridades do regime cubano.
A se consolidar esta espúria operação, o Brasil terá sido empurrado decididamente para os descaminhos do totalitarismo. Hoje escravidão de pobres cubanos, amanhã talvez de brasileiros.
É, pois, com repulsa que vejo autoridades da República, com profundos laços ideológicos com o regime comunista de Cuba, fazerem semelhante acordo, favorecendo ademais a sobrevivência de uma ditadura que visa estender pelo território brasileiro os males com que o expansionismo castrista fustiga há décadas países de nosso Continente.

Para que o Brasil prossiga sua trajetória histórica sem conhecer as discórdias, agitações e até morticínios que têm caracterizado as revoluções de índole socialo-comunista, urge que os brasileiros, das mais diversas condições, abandonem certa inércia desavisada na qual se encontram e se articulem para fazer refluir as ameaças que, contrárias ao modo de pensar, de agir e de viver, da grande maioria de nossa população, vão baixando sobre o País.
É neste sentido que elevo minhas preces a Nossa Senhora Aparecida, a quem Dom Pedro I consagrou o Brasil, logo após nossa Independência, como Padroeira e Rainha.


Comentário do Jornal dos Amigos

Para quem não sabia, como eu, Dom Luís Gastão Maria José Pio Miguel Gabriel Rafael Gonzaga de Orléans e Bragança e Wittelsbach nasceu em Mandelieu (Mandelieu-la-Napoule é uma comuna francesa, situada no departamento dos Alpes Marítimos, na região da Provença-Alpes-Costa Azul),  em 6 de junho de 1938. Príncipe de Orléans e Bragança de 1938 a 1981, príncipe imperial do Brasil de 1938 a 1981 e atual chefe da Casa Imperial do Brasil, desde 5 de julho de 1981, após a morte do pai. O título é considerado legítimo pela maioria dos monarquistas e das casas dinásticas estrangeiras. Dom Luís seria, portanto, de jure, o imperador do Brasil. É formado em química pela Universidade de Munique. É o primogênito de D. Pedro Henrique de Orléans e Bragança, e neto de D. Luís de Orléans e Bragança, bisneto de D. Isabel Leopoldina de Bragança e de D. Gastão de Orléans, conde d'Eu, e trineto do imperador D. Pedro II. Se fosse imperador, estaria reinando como Sua Majestade Imperial e Real, Dom Luís I, por Graça de Deus e Unânime Aclamação dos Povos, Imperador Constitucional e Defensor Perpétuo do Brasil. Esses dados estão na Wikipédia. Se até o príncipe Dom Luiz se manifesta sobre a situação política do País é que a coisa no Brasil está preta mesmo, pois se o comunismo vingar sua cabeça ficará a prêmio. Se é tão grave assim, eu elevo as minhas preces à Deus, que manda em todos os santos...


* * *

Enviado pela autora, São Paulo-Capital
070913

Ela tinha medo

Por Mara Montezuma Assaf

Alguém se recorda de como uma atriz global foi execrada pelos intelectuais, pelos políticos e eleitores petistas quando na primeira campanha eleitoral  à presidência do Lula ela afirmou que tinha medo do que aconteceria com o Brasil caso ele ganhasse a eleição? A resposta delles foi o jingle "Sem medo de ser feliz". Pois bem, ele ganhou...e depois de mais de uma década sob o PT, vivemos afinal  sob o império do medo, pois elles fragilizaram e desprezaram tanto as leis que impuseram a impunidade como regra, incentivando a criminalidade desregrada. Isso tanto na vida civil como no universo da política. Hoje os cidadãos de bem morrem como baratas pelo país...e Donadons são defendidos descaradamente pelos seus iguais. Eu vivo com medo, mas não curvo a ele pois não sou covarde...não me omito e nem me escondo. Vamos às ruas?

Repasso do Sérgio Herculândia a poesia abaixo. A prepotência do autor, Fábio Brasi, será que se mantém até hoje, quando convivemos com o medo, a vergonha, a corrupção, a descompostura? Não resisto à tentação de reproduzir aqui, esta comovente carta de amor a Regina Duarte.

À velha namoradinha com amor

Autoria de Fábio Brasil

Regina, Regina. Duarte
da arte... Do que tens medo?
Da violência em toda parte?
Já a temos, sem segredo.

Sim, temos roubos, corruptos,
estouros e bandalheira?
Já os temos ininterruptos
por oito anos. Besteira...

Besteira tua, atriz,
não temas qualquer bandalha,
delas já tivemos bis,
oito anos na cangalha.

Amada, que temes tanto,
alta do dólar, desemprego?
Não vês jornais no teu canto?
Nem TV em teu aconchego?

Regina, antiga amada
de velhas tolas novelas,
que fizeste depois? Nada?
Inda vive dentro delas?

Teu medo não tem sentido,
nada viste, oh Regina,
do Brasil sendo vendido
por banana e com propina?

Linda, estiveste em coma?
por oito anos seguidos?
Não viste quem é que toma?
dos pobres para os erguidos?

Namorada do Brasil,
tão nossa namoradinha,
não ouviste nem um pio
da miséria que caminha?

Que esperas de mim amada,
confessando-me teu medo?
Que eu perdoe essa cambada
que vendeu o anel e o dedo?

Esquece o medo, perua,
esse temor tão senil,
lê mais jornais, vai à rua,
vem amor, vem pro Brasil.

Finda assim, nosso namoro,
tu infeliz, eu contente,
e o Brasil gritando em coro:
Lula! Lula presidente!


Comentário do Jornal dos Amigos

De certo Regina Duarte continua com medo. E nós também, mas enquanto tiver Internet ligada formaremos trincheira.


* * *

Enviado por Luciano de Moura
070913

Coronel da Força Aérea alerta dona Dilma

O texto traduz sua indignação pelos mal feitos da ditadura disfarçada
dos petralhas que continua no poder por conta da paciência e da aposta
na “democracia” feita por uma parcela de eleitores que não traduziu o
pensamento da maioria dos brasileiros

Por Cel. Maciel, R1 da Força Aérea Brasileira

Muito cuidado dona Dilma: — Formiga que quer se perder cria asa. Corte enquanto pode as perigosas asas dessa tal Comissão da Verdade com todas suas mentiras! Não sei o tamanho da vara da senhora; mas é muito, muito perigoso mexer leão com vara curta. Mostre sua brabeza com os fracos! — Brabeza com os fortes é muito perigoso.

É muito fácil, muito fácil mesmo, minha querida presidente, colocar a culpa de tudo que acontece de errado neste hoje tão errado Brasil, nos militares. Nos “ditadores!”. Nos “gorilas de 64”!

Mas veja bem. Há mais de vinte anos estamos recolhidos nos quartéis, comendo o pão que o diabo amassou; de pires nas mãos! Fazendo das tripas coração! Lembre-se que a senhora é a nossa Comandante-em-Chefe!

Chega de torturas! Chega de perseguições!  Hoje já perdemos quase tudo! Quase, pois ainda nos resta um pouco de coragem, de honra, de dignidade, de vergonha na cara!

Não somos assassinos não! Assassinos são esses que lhe acompanham e que deixaram centenas de famílias sem pais! Jovens sentinelas foram cruelmente assassinados nas guerrilhas urbanas, cujos delitos eram planejados,
arquitetados, muito bem bolados por quem, hein dona Dilma?

As Forças Armadas exigem respeito! Somos o braço forte e amigo de todos os brasileiros! Estamos cansados, putos da vida mesmo com tantas humilhações, tantas sacanagens! Cansados de sofrer humildemente as censuras
dos encastelados no poder, incapazes de compreender, de refletir e avaliar corretamente o que nós fizemos num passado recente por este Brasil tão grande, tão amado e hoje tão traído!

Mergulhados na indiferença, no desânimo, assistimos o circo pegar fogo. Olhando de longe o Brasil mergulhando na guerra civil, na corrupção, nas drogas, no caos. Será preciso outra Revolução? Não! Lógico que não! Embora haja muita gente –muita gente mesmo-  cansada, de saco cheio de conviver com tanta esculhambação, tanta corrupção, tanta safadeza, achando que sim, achando que é preciso outra 64! Achando que revolução mesmo é com sangue! Muito sangue! Muitos “paredóns”, como fez Fidel Castro, a menina dos olhos dessas suas embriagadas e alegres esquerdas. E não fazer como fizemos naqueles idos, passando panos quentes nas bundas desses seus amigos terroristas que estão aí, ratos soltos na buraqueira, comendo o queijo e bebendo o leite dos nossos famintos brasileirinhos…

Cuidado, dona Dilma; muito cuidado com o pingo da gota d’água!

Veja bem o que está acontecendo na Turquia. 

Satisfação a um general: “Não é necessário uma nova revolução como a de 64. Dessa vez façam a coisa de forma democrática! É só prender todos os políticos, herdeiros e sucessores que enricaram nos últimos 20 anos, obrigá-los a fazer uma doação ao Tesouro Nacional. Com apenas esse dinheiro e bens arrecadados resolveremos grande parte dos problemas reivindicados pela população brasileira”.

Jornal dos Amigos


Followers

Google+ Followers

Leve nosso QR Code

Leve nosso QR Code