terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Queridos amigos.
Por Milton Pires

Terminou a JMJ (Jornada Mundial da Juventude). Meus queridos canalhas petistas, assassinos de prefeitos, estelionatários, e condenados do Mensalão: hoje o Papa foi embora e eu, mesmo sem me considerar católico praticante,  gostaria de deixar aqui um recado que fica, na minha opinião,  sobre a visita dele. Vocês sabem qual é?
Eu resumo assim: Para cada mulher da Marcha das Vadias sempre vai haver no Brasil milhares das que são decentes. Para cada viciado em crack, assim como para cada integrante da Marcha da Maconha, vocês encontrarão milhares de médicos brasileiros dispostos a tratá-los e para cada integrante do Movimento Gay – milhões de homens continuarão adorando as mulheres desse país. Isso, seus desgraçados, não deve jamais sair da lembrança de vocês e quando, agora em agosto, vocês encontrarem  seus amigos terroristas e traficantes que integram o Foro de São Paulo levem essa derrota na mala!
Jovens católicos reuniram-se aos milhões na cidade do Rio de Janeiro. Em nenhum deles vocês conseguiram enfiar uma camiseta do Che Guevara... Nenhum deles comprou “baseado” dos amigos de vocês que infectam os Morros daquela cidade..Que derrota, hein “cumpanheros”? Parece que o movimento das lésbicas e a retirada dos crucifixos dos tribunais não surtiu efeito nenhum, né?
A lição, a única e verdadeira lição,  que qualquer criança poderia tirar dessa derrota vocês são incapazes de apreender. Sabem qual é? É que a maioria esmagadora das pessoas do nosso país são gente decente, seus bandidos! São gente que não quer saber de Marcha de Vadias, de Movimento Gay ou de Maconheiros...
São pessoas humildes que elegeram vocês, às vezes em troca de um prato de comida, mas que jamais concordariam com os milhões de mortos na China e na URSS provocadas pela fome  dos regimes de Mao e Stalin que vocês tentam implantar aqui.
A maioria dos brasileiros, petralhas desgraçados, acredita de todo coração que homem e mulher tem que ir pra cama um com o outro, que maconha faz mal, que deixar viciados em crack andando pelas ruas é falta de caridade e que dar vaga na Universidade por causa da cor das pessoas é um absurdo...
A gigantesca maioria do nosso povo é contra transformar o aborto em algo como trocar de roupa ou tomar banho, já mostraram para vocês que acreditam no direito da população ter armas para se defender..e na hora da morte sabe quanto vale um médico ao seu lado!
Até quando, seus miseráveis, vocês pensam que vão enganar o resto do mundo? Quantas notícias sobre economia em crescimento vocês vão divulgar no New York Times e quantos artigos publicados lá o Grande Analfabeto vai ter que pedir para escreverem por ele?
Vocês sabem a razão disso tudo? A crença da nossa gente em Deus! A fé numa verdade transcendental que na religião de vocês (materialismo dialético) não existe. O Brasil, seus bandidos, vai deixar em 2014 a mensagem da URSS em 1989 – lá vocês escravizaram as pessoas pela força; aqui estão tentando fazer isso através da cultura e, mais uma vez, vão ser derrotados.
Agora vocês nos escolheram (nós os médicos) como responsáveis pelo sofrimento do povo, não é? Vamos ver quem vai vencer...Para cada Alexandre Padilha, traidor da nossa profissão, milhares de médicos brasileiros mostrarão que vocês estão errados. Nós provaremos, custe o que custar, a má-fé de vocês todos com a relação às pessoas doentes e quando a máscara cair vai ser tarde demais para se levantar novamente.
Hoje é domingo à noite – tradicional “hora da depressão” e da lembrança  de que amanhã a semana começa de novo...Tudo retorna a rotina...todas as queixas outra vez.. Nem Lula e Dilma podem escapar disso, mas a segunda-feira vai ter um ar diferente deixado por aquela visão da praia lotada com milhões de jovens rezando...milhões de pessoas que não acreditam em vocês – uma prova arrasadora de Deus derrotando o PT.
 Porto Alegre, 28 de julho de 2013 AVC (antes da vinda dos cubanos)
Milton Simon Pires é Médico.


“Aquele que não conhece a verdade é simplesmente um ignorante, mas aquele que a conhece e diz que é mentira, este sim é um criminoso." ( Bertolt Brecht )



segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

"O FUTURO DO PT" (LUCIA HIPÓLITO)

A HORA É AGORA!
DEMOCRACIA HOJE !!!


Aula de História
O Futuro do PT
(Lúcia Hippólito)

“Nascimento” do PT:
O PT nasceu de cesariana, há 29 anos. O pai foi o Movimento Sindical, e a mãe, a Igreja Católica, através das Comunidades Eclesiais de Base.
Outros orgulhosos padrinhos foram os intelectuais, basicamente paulistas e cariocas, felizes de poder participar do crescimento de um partido puro, nascido na mais nobre das classes sociais, segundo eles: o proletariado.

“Crescimento” do PT:
O PT cresceu como criança mimada, manhosa, voluntariosa e birrenta. Não gostava do capitalismo, preferia o socialismo. Era revolucionário. Dizia que não queria chegar ao poder, mas denunciar os erros das elites brasileiras.
O PT lançava e elegia candidatos, mas não "dançava conforme a música". Não fazia acordos, não participava de coalizões, não gostava de alianças. Era uma gente pura, ética, que não se misturava com picaretas.
O PT entrou na juventude como muitos outros jovens: mimado, chato e brigando com o mundo adulto.
Mas nos estados, o partido começava a ganhar prefeituras e governos, fruto de alianças, conversas e conchavos. E assim os petistas passaram a se relacionar com empresários, empreiteiros, banqueiros.
Tudo muito chique, conforme o figurino.

“Maioridade” do PT:
E em 2002 o PT ingressou finalmente na maioridade. Ganhou a presidência da República. Para isso, teve que se livrar de antigos companheiros, amizades problemáticas. Teve que abrir mão de convicções, amigos de fé, irmãos camaradas.

Pessoas honestas e de princípios se afastam do PT.
A primeira desilusão se deu entre intelectuais. Gente da mais alta estirpe, como Francisco de Oliveira, Leandro Konder e Carlos Nelson Coutinho se afastou do partido, seguida de um grupo liderado por Plínio de Arruda Sampaio Junior.
Em seguida, foi a vez da esquerda. A expulsão de Heloisa Helena em 2004 levou junto Luciana Genro e Chico Alencar, entre outros, que fundaram o PSOL.
Os militantes ligados a Igreja Católica também começaram a se afastar, primeiro aqueles ligados ao deputado Chico Alencar, em seguida, Frei Betto.
E agora, bem mais recentemente, o senador Flávio Arns, de fortíssimas ligações familiares com a Igreja Católica.
Os ambientalistas, por sua vez, começam a se retirar a partir do desligamento da senadora Marina Silva do partido.

Quem ficou no PT?
Afinal, quem do grupo fundador ficará no PT? Os sindicalistas.
Por isso é que se diz que o PT está cada vez mais parecido com o velho PTB de antes de 64.
Controlado pelos pelegos, todos aboletados nos ministérios, nas diretorias e nos conselhos das estatais, sempre nas proximidades do presidente da República.
Recebendo polpudos salários, mantendo relações delicadas com o empresariado. Cavando benefícios para os seus. Aliando-se ao coronelismo mais arcaico, o novo PT não vai desaparecer, porque está fortemente enraizado na administração pública dos estados e municípios. Além do governo federal, naturalmente.
É o triunfo da pelegada.

Lucia Hippolito

O PERIGO É O SILÊNCIO
Eu pediria a todos que receberem esse e-mail o favor de ler o texto por inteiro, com calma e atenção e, se puder e entender que seja pertinente, gastar um tempinho, para reenviá-lo a todos da sua lista.
Diamantina, Interior de Minas Gerais, 1914.
O jovem 'Juscelino Kubitschek', de 12 anos, ganha seu primeiro par de sapatos.Passou fome. Jurou estudar e ser alguém. Com inúmeras dificuldades, concluiu o curso de Medicina e se especializou em Paris.
Como Presidente, modernizou o Brasil.
Legou um rol impressionante de obras e; humilde e obstinado, era (E AINDA É) querido por todos.
Brasília, 2003.
Lula assume a presidência. Arrogante, se vangloria de não haver estudado.Acha bobagem falar inglês. 'Tenho diploma da vida', afirma. E para ele basta.
Meses depois, diz que 'ler é um hábito chato'.
Quando era 'sindicalista', percebeu que poderia ganhar sem estudar e sem trabalhar - sua meta até hoje.

Londres, 1940.
Os bombardeios são diários, e uma invasão aeronaval nazista é iminente.
O primeiro-ministro W. Churchill pede ao rei George VI que vá para o Canadá.
Tranquilo, o rei avisa que não vai.
Churchill insiste: então que, ao menos, vá a rainha com as filhas. Elas não aceitam e a filha entra no exército britânico; como 'Tenente-Enfermeira', e, sua função é recolher feridos nos bombardeios.
Hoje ela é a 'Rainha Elizabeth II'.
Brasília, 2005.
A primeira-dama (? que nada faz para justificar o título) Marisa Letícia, requer 'cidadania italiana' - e consegue.Explica, candidamente, que quer 'um futuro melhor para seus filhos'.
E O FUTURO DOS NOSSOS FILHOS, CIDADÃOS E TRABALHADORES BRASILEIROS?

Washington, 1974.
A imprensa americana descobre que o presidente Richard Nixon está envolvido até o pescoço no caso Watergate. Ele nega, mas jornais e o Congresso o encostam contra a parede, e ele acaba confessando.Renuncia nesse mesmo ano, pedindo desculpas ao povo.
Brasília, 2005.
Flagrado no maior escândalo de corrupção da história do País, e tentando disfarçar o desvio de dinheiro público em caixa 2, Lula é instado a se explicar.Ante as muitas provas, Lula repete o 'eu não sabia de nada', e ainda acusa a imprensa de persegui-lo.
Disse que foi 'traído', mas não conta por quem.

Londres, 2001.
O filho mais velho do primeiro-ministro Tony Blair é detido, embriagado, pela polícia.Sem saber quem ele é, avisam que vão ligar para seu pai buscá-lo.
Com medo de envolver o pai num escândalo, o adolescente dá um nome falso.
A polícia descobre e chama Blair,' que vai sozinho à delegacia buscar o filho'.
Pediu desculpas ao povo pelos erros do filho.
Brasília, 2005.
O filho mais velho de Lula é descoberto recebendo R$ 5 milhões de uma empresa, financiada com dinheiro público. Alega que recebeu a fortuna vendendo sua empresa, de fundo de quintal, que não valia nem um décimo disso.
O pai, raivoso, o defende e diz que não admite que envolvam seu 'filhinho nessa sujeira'? ? ?

Nova Délhi, 2003.
O primeiro-ministro indiano pretende comprar um avião novo para suas viagens.
Adquire um excelente, brasileiríssimo 'EMB-195', da 'Embraer', por US$ 10 milhões.
Brasília, 2003.
Lula quer um avião novo para a presidência. Fabricado no Brasil não serve.Quer um dos caros, de um consórcio franco-alemão. Gasta US$ 57 milhões e,
AINDA, manda decorar a aeronave de luxo nos EUA. 'DO BRASIL NÃO SERVE'.
E você, já decidiu o que vai fazer nos próximos minutos?
Vamos repassar esse e-mail para nossos contatos!
Vamos dar ao BRASIL uma nova chance!
Ele precisa voltar para o caminho da digniadade.
Nós não merecemos o desgoverno que se instalou em nosso País.Temos aOBRIGAÇÃO de acordar e lutar antes que seja tarde.'O que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons.'

Martin Luther King


domingo, 10 de fevereiro de 2013

Custou R$ 28.400,00 o JANTAR ao qual você NÃO FOI, mas PAGOU a CONTA.

Enquanto eles jantam, o gigante continua adormecido e muitos dos filhos teus estão passando fome, e até não comem para não ter uma indigestão, e não ter médico, ou hospital, posto de saúde ou Pronto Socorro que os atenda......
                       
Deputado Henrique Alves (PMDB-Natal-RN)

Você NÃO foi ao JANTAR do Presidente da CÂMARA HENRIQUE ALVES, mas PAGOU a CONTA.

- R$ 28.400,00 -

 No caso específico, o dinheiro da Câmara (PÚBLICO) foi repassado à servidora Bernadette Maria França Amaral Soares  lotada no Gabinete de Henrique Alves, como administradora da residência oficial da Câmara. O salário dela é de cerca de R$ 23.000,00 mil mensais.








onde o espírito não teme, a fronte não se curva



                   



sábado, 9 de fevereiro de 2013


Imagem inline 1

segunda-feira, julho 29, 2013

GOVERNO DO PT PEDE SOCORRO AO FMI. UÉ! NÃO DIZIAM QUE ERA O BRASIL QUE ESTARIA EMPRESTANDO AO FMI? QUE ESTAVA TUDO MARAVILHOSO?

Situação caótica: Governo de Lula e da Dilma bate na porta do FMI
Num esforço para melhorar a imagem da política fiscal brasileira, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, pediu à diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, que a instituição mude a forma como calcula a dívida bruta do país. Número que reúne os débitos interno e externo dos governos federal, estaduais e municipais, a dívida bruta é um dos indicadores mais observados pelo mercado para avaliar a situação das contas públicas de um país. O Brasil vem elevando seu estoque e hoje, pelo critério do FMI, é a economia emergente em pior situação.

Os dados do Fundo apontam que, no Brasil, a dívida bruta fechou 2012 em 68,5% do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país). Na Índia, o estoque é de 66,8%, na China, de 22,8%, e na Rússia, de 10,9%. No entanto, pela metodologia usada pelo governo para calcular o número, a dívida está num patamar bem menor: em 58,7% do PIB no ano passado e agora em 59,6%.


Na carta entregue a Lagarde na semana passada, Mantega afirma que o Brasil fez grandes avanços na política fiscal na última década e defende que a mudança na metodologia daria uma visão mais clara sobre o perfil da dívida do país. O maior problema para o governo está no fato de que o FMI inclui no cálculo do indicador todas as emissões de títulos que o Tesouro Nacional faz para o Banco Central (BC). Esses papéis são postos na carteira do BC para que a autoridade monetária faça as chamadas operações compromissadas, que enxugam a liquidez no mercado. Leia MAIS


MEU COMENTÁRIO:
Mas que negócio é esse agora? Afinal, Lula passou um bom tempo jactando-se da proeza do Brasil, sob o seu governo, de ter liquidado a dívida contraída com o FMI e que de devedor passou a ser credor do Fundo. Nessas condições era o Brasil então invertera o jogo e passava a emprestar dinheiro ao FMI. Ah!, tem também o tal Fundo Soberano. A quantas anda???


Agora a verdade verdadeira aparece. As contas do governo estão desgovernadas, a inflação voltou e ameaça a maior conquista brasileira que foi o Plano Real. O responsável por esse desastre é o governo do Lula e da Dilma.

Tanto é que o PT e suas ninjas decidiram partir para o tudo ou nada e no desespero espalham o terror nas ruas para desviar a atenção sobre uma questão crucial: as contas do governo.


Como sempre o prejuízo de todos os governos comunistas são debitados na conta dos cidadãos. Os brasileiros é que terão que pagar as brutais despesas de um Estado Leviatã criado para saciar o ego de Lula e seus sequazes. Esse é o projeto do PT, o projeto da pilhagem dos cofres público.

E o Sr.
Mantega ainda tem a cara e a coragem de pedir ao FMI para mudar as regras de cálculo para fechar uma conta que não fecha nem a pau. Os dados do Fundo apontam que, no Brasil, a dívida bruta fechou 2012 em 68,5% do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país).

A situação do Brasil mostra-se como a pior entre os denominados países emergentes. Isso afugenta investidores, paralisa a economia do país e encurta de forma dramática os salários!


O governo do PT é uma mentira que sobreviveu até aqui à força de campanhas internacionais de marketing. Como nunca antes neste país. Ou seja, o governo do PT é uma mentira, como sempre foi desde o primeiro dia em que ocupou o Palácio do Planalto para pouco depois deflagrar o escândalo do mensalão.



fonte : http://aluizioamorim.blogspot.com.br/2013/07/governo-do-pt-pede-socorro-ao-fmi-ue.html



sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Olha só o rumo que a coisa tá tomando. A gente viu como começou, mas não se sabe como vai terminar.
Todo dia tem mais manifestação!!!!!                                                                                                              
 Pense nos seus descendentes.

Foto: Por muito menos derrubamos o Collor, agora é a vez do impeachment Dilma.

IMPEACHMENT DA PRESIDENTE DILMA

IMPEACHMENT PELA incompetência, a desonestidade, a corrupção, a enganação, a mentira. 
IMPEACHMENT PELAS obras inacabadas, superfaturadas, mal feitas, não fiscalizadas. 
IMPEACHMENT PELA insegurança dos cidadãos brasileiros, as péssimas condições da saúde pública, a  ineficiência do sistema educacional. 
IMPEACHMENT PELA falta de boas estradas, portos e aeroportos.
IMPEACHMENT PELA carência de saneamento básico, os apagões de energia elétrica, o caos das grandes cidades.
IMPEACHMENT PELOS empréstimos secretos à Cuba e Angola.
IMPEACHMENT PELA utilização política de empresas estatais e de economia mista, com recursos financeiros mal aplicados ou utilizados de maneira inescrupulosa, ocasionando graves prejuízos, como os verificados na Petrobras.
IMPEACHMENT PELO abandono das obras de transposição do rio São Francisco.
IMPEACHMENT PELO estímulo à luta de classes, à invasão de propriedades particulares e à desagregação da sociedade.
IMPEACHMENT PELOS programas eleitoreiros, disfarçados em projetos sociais, sem nenhuma contrapartida, que objetivam apenas a conquista de votos para a manutenção do poder.
IMPEACHMENT PELO retorno da inflação, o aumento brutal da dívida interna e externa a quebra do equilíbrio fiscal.
IMPEACHMENT PELO aniquilamento de nossa indústria, os malefícios à agropecuária, e a perda da competitividade internacional.
IMPEACHMENT PELOS cartões corporativos e o alto custo da máquina governamental, com os seus trinta e nove ministérios, criados, em sua maioria, apenas para abrigar políticos obscuros e os interesses dos partidos da base aliada.
IMPEACHMENT PELO aparelhamento do Estado, inclusive  o da mais alta corte do Poder Judiciário, por pessoas ligadas ao partido político da "presidenta".
IMPEACHMENT PELO expurgo dos comunistas/socialistas/terroristas.
IMPEACHMENT PELA tentativa de mudar a verdadeira História do Brasil, com a instalação de uma Comissão, que de verdade só tem o nome.
IMPEACHMENT PELA subordinação da política externa brasileira aos ditames do Foro de São Paulo, com o país caudatário das decisões de governos populistas e ditatoriais da América Latina.
IMPEACHMENT PELA insistência de transformar o Brasil em uma ditadura do proletariado.
IMPEACHMENT PELAS tentativas de macular as Forças Armadas, de silenciar a imprensa, de implantar, paulatinamente, o comunismo no Brasil, travestido agora com o nome de socialismo bolivariano.
IMPEACHMENT PELA tentativa de importar 6.000 terroristas comunistas, com máscaras de médicos cubanos.
IMPEACHMENT PELOS políticos demagogos, oportunistas, mentirosos, corruptos e adúlteros.
IMPEACHMENT PELA impunidade dos mensaleiros.
IMPEACHMENT PELA degradação da classe política. Verdadeira casta de mafiosos.
IMPEACHMENT PELOS seguidores de falsos profetas, os aproveitadores, os bajuladores, de todas as espécies.
IMPEACHMENT PELOS inocentes úteis, os conformados, os omissos.
IMPEACHMENT POR todo o mal que nos últimos dez anos, o partido político que se dizia ético, fez ao meu país.
Que a estrondosa vaia à presidente Dilma seja o prenúncio de um Brasil, verdadeiramente grandioso, DEMOCRÁTICO e justo para o seu povo.
Pense em seus descendentes. Assine a petição:



PEÇO MASSIVA DIVULGAÇÃO!


quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013


Enviado, pela autora, São Paulo-Capital
230313

Justiça é feita mas na prática...

Por Mara Montezuma Assaf

Revolta é o que me causou a leitura da carta da Sra. Cláudia Priore (Fórum dos leitores do Estadão - 23/02) ) expondo o assalto com violência cometido contra seus sogros e a atitude incompreensível dos policiais  que soltaram os criminosos, pegos com o carro e os bens roubados das vítimas, diante da revolta da população da favela em defesa de seu morador. A polícia soltou os meliantes! Explicação dada: a recomendação do comando em São Paulo é não ferir bandidos para não arrumar problemas com os direitos humanos. Eu somo esta notícia a outro fato atual: o de que o parricida Gil Rugai, mesmo tendo sido condenado a 33 anos e 9 meses de prisão não só vai recorrer da pena em liberdade como também, mesmo se tivesse sido preso, só teria a cumprir mais 3 anos e 1 mês de prisão...que somariam aos 2 anos e 6 meses em que foi mantido preso. Só isso?  Lição aprendida: no Brasil a prática do crime compensa, a cruel inversão de valores está sendo esfregada na nossa cara e ninguém faz nada para mudar este quadro! Por que somos tão omissos? O quê exatamente nos paralisa? Enquanto nada fazemos, os grandes interessados nesta "revolução" estão à todo vapor implantando os alicerces do que entendem ser "uma nova sociedade". ACORDA, Brasil!

Comentário do Jornal dos Amigos

O caso de Gil Rugai é hilário, para não dizer trágico. O sujeito é condenado a 33 anos e 9 meses em regime fechado pelo assassinato de seu pai, Luis Rugai, e de sua madrasta, Alessandra Troitino, ocorrido em março de 2004, mas continua solto.  Na sentença, o juiz Adilson Paukoski Simoni chamou o condenado de dissimulado e "extremamente perigoso", entretanto, determinou que ele pudesse recorrer da sentença em liberdade. E ainda acrescentou que Rugai pode pedir progressão para o regime semiaberto. Ora, isso não passa de uma palhaçada. Justiça para quê? Pode matar porque 5 anos depois você pode ganhar a liberdade.  No caso de Gil é imediata. O crime no Brasil compensa e nesse caso “não vale a pena”. Veja também o caso daquele ex-deputado de Curitiba, Carli Filho, que passou por cima de dois rapazes a 130 km, matando-os. Há provas de que estava alcoolizado e nada acontece, está solto. O Brasil é o país da impunidade. Se esses crimes fossem cometidos nos EUA -em que 36 estados dos 50 ainda existe pena de morte- esses sujeitos pegariam com a pena capital ou prisão perpétua, sem essa de progressão da pena para regime semiaberto.








quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Polícia Federal descobre origem do boato sobre o fim do Bolsa Família


terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Já tem alguns meses mas é bom recordar...


" Senhor Presidente,Senhoras e Senhores Senadores,

Aproveito a oportunidade, extremamente emblemática, em que o Partido dos Trabalhadores festeja os seus 33 anos de existência --e uma década de exercício de poder à frente da Presidência-- para emprestar-lhes alguma colaboração crítica.

Confesso que o faço neste momento completamente à vontade, haja vista a cartilha especialmente produzida pela legenda para celebrar a ocasião festiva.

Nela, de forma incorreta, o PT trata como iguais as conjunturas e realidades absolutamente diferentes que marcaram os governos do PSDB e do PT.

Ao escolher comemorar o seu aniversário falando do PSDB, o PT transformou o nosso partido no convidado de honra da sua festa.

Eu aceito o convite até porque temos muito o que dizer aos nossos anfitriões.

Apesar do esforço do partido em se apresentar como redentor do Brasil moderno, é justo assinalar algumas ausências importantes na celebração petista.

Nela, não estão presentes a autocrítica, a humildade e o reconhecimento. Essas são algumas das matérias-primas fundamentais do fazer diário da política e que, infelizmente, parecem estar sempre em falta na prática dos nossos adversários.

Mas afinal, qual é o PT que celebra aniversário hoje?

O que fez do discurso da ética, durante anos, a sua principal bandeira eleitoral, ou o que defende em praça pública os réus do mensalão?
O que condenou com ferocidade as privatizações conduzidas pelo PSDB ou o que as realiza hoje, sem qualquer constrangimento?
O que discursa defendendo um Estado forte ou o que coloca em risco as principais empresas públicas nacionais, como a Petrobras e a Eletrobras?
O Brasil clama por saber: qual PT aniversaria hoje?
O que ocupou as ruas lutando pelas liberdades ou o que, no poder, apoia ditaduras e defende o controle da imprensa?
O PT que considerava inalienáveis os direitos individuais ou o que se sente ameaçado por uma ativista cuja única arma é a sua consciência?

A verdade é que hoje seria um bom dia para que o PT revisitasse a sua própria trajetória, não pelo espelho do narcisismo, mas pelos olhos da história.

Até porque, ao contrário do que tenta fazer crer a propaganda oficial, o Brasil não foi descoberto em 2003.

Onde esteve o PT em momentos cruciais, que ajudaram o Brasil a ser o que é hoje?

Como já disse aqui, todas as vezes que o PT precisou escolher entre o PT e o Brasil, o PT escolheu o PT.

Foi assim quando negou seu apoio a Tancredo no Colégio Eleitoral para garantir o nosso reencontro com a democracia.

Foi assim quando renegou a constituição cidadã de Ulysses.

Quando eximiu-se de qualquer contribuição à governabilidade no governo Itamar Franco e quando se opôs ao Plano Real e a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Em todos esses instantes o PT optou pelo projeto do PT.

Fato é que, no governo, deram continuidade às políticas criadas e implantadas pelo presidente Fernando Henrique.

E fizeram isso sem jamais reconhecer a enorme contribuição dada pelo governo do PSDB na construção das bases que permitiram importantes conquistas alcançadas no período de governo do PT.

No governo ou na oposição temos as mesmas posições.
Não confundimos convicção com conveniência.

Nossas convicções não nos impedem de reconhecer que nossos adversários, ao prosseguirem com ações herdadas do nosso governo, alcançaram alguns avanços importantes para o Brasil.

Da mesma forma, são elas, as nossas convicções, que sustentam as críticas que fazemos aos descaminhos da atual gestão federal.

Senhoras e senhores senadores,

A presidente Dilma Rousseff chega à metade de seu mandato longe de cumprir as promessas da campanha de 2010.

Há uma infinidade de compromissos simplesmente sublimados.

A incapacidade de gestão se adensou, as dificuldades aumentaram e o Brasil parou.

Os pilares da economia estão em rápida deterioração, colocando em risco conquistas que a sociedade brasileira logrou anos para alcançar, como a estabilidade da moeda.

Senhoras e senhores

Sei que a grande maioria das senadoras e senadores conhece as dezenas de incongruências deste governo, que têm feito o país adernar em um mar de ineficiência e equívocos.

Mas o resultado do conjunto da obra é bem maior do que a soma de suas partes.

Nos poucos minutos de que disponho hoje gostaria de convidá-los a percorrer comigo 13 dos maiores fracassos e das mais graves ameaças ao nosso futuro produzidos pelo governo que hoje comemora 10 anos.

Confesso que não foi fácil escolher apenas 13 pontos.

1. O comprometimento do nosso desenvolvimento:

Tivemos um biênio perdido, com o PIB per capita avançando minúsculo 1%. Superamos em crescimento na região apenas o Paraguai. Um quadro inimaginável há alguns anos.

2. A paralisia do país: o PAC da propaganda e do marketing.

O crítico problema da infraestrutura permanece intocado. As condições de nossas rodovias, portos e aeroportos nos empurram para as piores colocações dos rankings mundiais de competitividade. O Brasil está parado.

São raras as obras que se transformaram em realidade e extenso o rol das iniciativas que só serve à propaganda petista.

3. O tempo perdido: A indústria sucateada.

O setor industrial - que tradicionalmente costuma pagar os melhores salários e induzir a inovação na cadeia produtiva - praticamente não tem gerado empregos. Agora começa a desempregar, como mostrou o IBGE.
Estamos voltando à era JK, quando éramos meros exportadores de commodities.

4. Inflação em alta: a estabilidade ameaçada.

O PT nunca valorizou a estabilidade da moeda. Na oposição, combateu o Plano Real.

O resultado é que temos hoje inflação alta, persistentemente acima da meta, com baixíssimo crescimento. Quem mais perde são os mais pobres.

5. Perda da Credibilidade: A Contabilidade criativa.

A má gestão econômica obrigou o PT a malabarismos inéditos e manobras contábeis que estão jogando por terra a credibilidade fiscal duramente conquistada pelo país.

Para fechar as contas, instaurou-se o uso promíscuo de recursos públicos, do caixa do Tesouro, de ativos do BNDES, de dividendos de estatais, de poupança do Fundo Soberano e até do FGTS dos trabalhadores.

Recorro ao insuspeito ministro Delfim Neto, próximo conselheiro da presidente da republica que publicamente afirmou:

"Trata-se de uma sucessão de espertezas capazes de destruir o esforço de transparência que culminou na magnífica Lei de Responsabilidade Fiscal, duramente combatida pelo Partido dos Trabalhadores na sua fase de pré-entendimento da realidade nacional, mas que continua sob seu permanente ataque".

A quebra de seriedade da política econômica produzidas por tais alquimias não tem qualquer efeito prático, mas tem custo devastador.

6. A destruição do patrimônio nacional: a derrocada da Petrobras e o desmonte das estatais.

Em poucos anos, a Petrobras teve perda brutal no seu valor de mercado.

É difícil para o nosso orgulho brasileiro saber que a Petrobras vale menos que a empresa petroleira da Colômbia.

Como o PT conseguiu destruir as finanças da maior empresa brasileira em tão pouco tempo e de forma tão nefasta?

Outras empresas estatais vão pelo mesmo caminho.

Escreveu recentemente o economista José Roberto Mendonça de Barros:

"Não deixa de ser curioso que o governo mais adepto do estado forte desde Geisel tenha produzido uma regulação que enfraqueceu tanto as suas companhias".

7. O eterno país do futuro: o mito da autossuficiência e a implosão do etanol.

Todos se lembram que o PT alçou a Petrobras e as descobertas do pré-sal à posição de símbolos nacionais. Anunciou em 2006, com as mãos sujas de óleo, que éramos autossuficientes na produção de petróleo e combustíveis.

Pouco tempo depois, porém, não apenas somos importadores de derivados como compramos etanol dos Estados Unidos.

8. Ausência de planejamento: O risco de apagão.

No ano passado, especialistas apontavam que o governo Dilma foi salvo do racionamento de energia pelo péssimo desempenho da economia, mas o risco permanece.

Os "apaguinhos" só não são mais frequentes porque o parque termoelétrico herdado da gestão FHC está funcionando com capacidade máxima.

A correta opção da energia eólica padece com os erros de planejamento do PT: usinas prontas não operam porque não dispõem de linhas de transmissão.

9. Desmantelamento da Federação: interesses do pais subjugados a um projeto de poder.

O governo adota uma prática perversa que visa fragilizar estados e municípios com o objetivo de retirar-lhes autonomia e fazê-los curvar diante do poder central.

O governo federal não assume, como deveria, o papel de coordenador das discussões vitais para a Federação como as que envolvem as dividas dos estados, os critérios de divisão do FPE e os royalties do petróleo assistindo passivamente a crescente conflagração entre as regiões e estados brasileiros.

Assiste, também, ao trágico do Nordeste, onde faltam medidas contra seca.

10. Brasil inseguro: Insegurança pública e o flagelo das drogas.

Muitos brasileiros talvez não saibam, mas apesar da propaganda oficial, 87% de tudo investido em segurança pública no Brasil vêm dos cofres municipais e estaduais e apenas 13% da União.

Os gastos são decrescentes e insuficientes: no ano passado, apenas 24% dos R$ 3 bilhões previstos no Orçamento foram investidos. E isso a despeito de, entre 2011 e 2012, a União já ter reduzido em 21% seus investimentos em segurança.

Um dos efeitos mais nefastos dessa omissão é a alarmante expansão do consumo de crack no país. E registro a corajosa posição do governador Geraldo Alckmin nessa questão.

11. Descaso na saúde, frustração na educação.

O governo federal impediu, através da sua base no Congresso, que fosse fixado um patamar mínimo de investimento em saúde pela esfera federal.
O descompromisso e as sucessivas manobras com investimentos anunciados e não executados na área agridem milhões de brasileiros.

Enquanto os municípios devem dispor de 15% de seus recursos em saúde, os estados 12%, o governo federal negou-se a investir 10%.

As grandes conquistas na área da saúde continuam sendo as do governo do PSDB: Saúde da Família, genéricos, política de combate à AIDS.

Com a educação está acontecendo o mesmo. O governo herdou a universalização do ensino fundamental, mas foi incapaz de elevar o nível da qualidade em sala de aula.

Segundo denúncias da imprensa, das 6.000 novas creches prometidas em 2010, no final de 2012, apenas 7 haviam sido entregues.

12. O mau exemplo: o estímulo à intolerância e o autoritarismo.

Setores do PT estimulam a intolerância como instrumento de ação política. Tratam adversário como inimigo a ser abatido.

Tentam, e já tentaram cercear a liberdade de imprensa.

E para tentar desqualificar as críticas, atacam e desqualificam os críticos, numa tática autoritária.

Para fugir do debate democrático, transformam em alvo os que têm a coragem de apontar seus erros.

A grande verdade é que o governo petista não dialoga com essa Casa, mantendo-o subordinado a seus interesses e conveniências, reduzindo-o a mero homologador de Medidas Provisórias.

13. A defesa dos malfeitos: a complacência com os desvios éticos.

O recrudescimento do autoritarismo e da intolerância tem direta ligação com a complacência com que setores do petismo lidam com práticas que afrontam a consciência ética do país. Os casos de corrupção se sucedem, paralisando áreas inteiras do governo.

Não falta quem chegue a defender em praça pública a prática de ilegalidades sobre a ótica de que os fins justificam os meios.

Ao transformar a ética em componente menor da ação política, o PT presta enorme desserviço ao país, em especial às novas gerações.

Senhoras e senhores,

A grande verdade é, nestes dez anos, o PT está exaurindo a herança bendita que o governo Fernando Henrique lhe legou.

A ameaça da inflação, a quebra de confiança dos investidores, o descalabro das contas públicas são exemplos de crônica má gestão.

No campo político, não há mais espaço para tolerar o intolerável.

É intolerável, senhoras e senhores, a apropriação indevida da rede nacional de rádio e TV para que o governante possa combater adversários e fazer proselitismo eleitoral.

É intolerável o governo brasileiro receber de representantes de um governo amigo do PT informações para serem usadas contra uma cidadã estrangeira em visita ao nosso país.

Diariamente, assistimos serem ultrapassados os limites que deveriam separar o público do partidário.

E não falo apenas de legalidade. Falo de legitimidade.

Vejo que há quem sente falta da oposição barulhenta, muitas vezes irresponsável feita pelo PT no passado.

Pois digo com absoluta clareza: não seremos e nem faremos esta oposição.

Agir como o PT agiu enquanto oposição faria com que fôssemos iguais a eles.

E não somos.

Não fazemos oposição ao Brasil e aos brasileiros. Jamais fizemos.

Tentando mais uma vez dividir o país entre o nós e o eles, entre os bons e os maus, o PT foge do verdadeiro debate que interessa ao Brasil e aos brasileiros.

Como construiremos as verdadeiras bases para transformarmos a administração diária da pobreza em sua definitiva superação?

Como construiremos as bases para um desenvolvimento verdadeiramente sustentável e solidário com todos os brasileiros?

A esta altura, parece ser esta uma agenda proibida, sem qualquer espaço no governismo.

Até porque, senhoras e senhores, se constata aqui o irremediável: não é mais a presidente quem governa.
Hoje, quem governa o país é a lógica da reeleição.

Muito obrigado."





  

Followers

Google+ Followers

Leve nosso QR Code

Leve nosso QR Code