quarta-feira, 1 de abril de 2015

Um gordo sem audiência, sem ética e sem vergonha


Por Edson Joel, de seu blog

Pelo seu Twitter, certo dia, Gisele Bündchen deixou escapar que estava fazendo a Dieta Dukan e os resultados eram ótimos. Curiosamente, na mesma época, a princesa Kate Middleton, também. E as mulheres de todo mundo aderiram à moda dessa dieta, um riquíssimo negócio do ex-médico francês Pierre Dukan que gira bilhões de dólares.

Oras, porque elas fariam isso? Por cachê. Cachê altíssimo, pago em milhões e em dólares por merchandising do produto. Negócios. Cassaram o título de médico de Dukan, muitas mulheres que fizeram a dieta foram parar nas mesas cirúrgicas com graves problemas renais e o autor da dieta, bem, ele ficou muito mais rico e famoso. Para vender um produto o merchandising é um bom caminho.

E, de repente, você lê um artigo na Folha de São Paulo, de Fernanda Torres, apoiando a permanência de Dilma na presidência sob a alegação do medo: quem sucederá Dilma não pode ser pior que ela?

Ou Jô Soares, antes um "defensor" das liberdades, agora apoiando o PT, sabidamente um partido corrupto em todas as formas e meios que busca calar a imprensa e que praticou o maior estelionato eleitoral na história deste país, negado por ele. Porque fariam isso? Por dinheiro, claro, pago pelo PT para tentar melhorar a imagem da presidente. Coisa do marqueteiro da Dilma.

Bem, Jô Soares está velho, muito doente e em fim de carreira - sua audiência na Globo despencou - e o cachê pago pelo PT vai lhe garantir um futuro material razoável. Quanto a Folha, certamente pegou a gorda fatia da verba e sua colunista, Fernanda, outro bom pedaço do dinheiro que veio, certamente, da corrupção. Sabidamente o movimento é mais de propaganda que de ideologia política. É marketing puro.

Imbatível desde 2000 quando estreou na Globo, o programa do Jô tem sido frequentemente ultrapassado pela concorrência. No começo de maio, durante a apresentação do bloco As Meninas do Jô, ele permaneceu em terceiro lugar com 3,7 pontos batido pela Câmera Record, em primeiro, com 6 e Danilo Gentili com 4,2 no SBT. Já teria sido comunicado que o programa sairá da grade da emissora em 2016.

Difícil é aceitar que "artistas" como Fernanda e Jô negociem suas aposentadorias no momento em que o brasileiro corre o risco de perder suas liberdades e o país cair numa ditadura, como a Venezuela. A posição simpática de Jô Soares por Dilma não vai agregar nada em favor da estelionatária política porque, pelo que se observa da reação popular, ele não convence como formador de opinião. Jô é apenas um gordo sem audiência, sem ética e sem vergonha.

PS: A audiência do programa foi de 6,7 pontos (share de 23,8%) durante a entrevista com a presidente Dilma Rousseff, segundo dados do Ibope, na grande São Paulo. Os números consolidados podem ser alterados. O SBT, com Danilo Gentili, ficou com 4,4 pontos ,a Record, 2,7 e Band 0,9.

Segundo especialistas, a audiência foi muito menor que a esperada diante de tamanha repercussão. Considera-se que grande parte dela foi dado pelos anti-petistas que bateram panelas durante a entrevista. Jô passou o programa "levantando a bola" para as respostas de Dilma que usou o espaço para defender os ajustes econômicos implantados pelo presidente Joaquim Levy.


Comentário do Jornal dos Amigos

A que ponto chega a degradação humana. Um artista outrora consagrado com seus programas engraçados, e agora um gordo velho totalmente sem graça... É bom que saia de cena enquanto é tempo!


* * *


0 comentários:

Postar um comentário

Followers

Google+ Followers

Leve nosso QR Code

Leve nosso QR Code